Sejam bem vindos, deixem uma opinião...VOLTEM SEMPRE!

Pesquisar neste blogue

Os nossos olhos são o espelho da nossa alma, não mentem, reproduzem sempre os pormenores mais íntimos dos nossos sentimentos. O Espelho da Alma é um espaço onde se pretende reproduzir em poesia um manifesto desses sentimentos do autor. Tu! Que aqui passaste, considera-te bem vindo e volta sempre.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

Photobucket


. DESALENTO



Oh! Como te excomungo aqui, maldito fado,

Neste cansaço de ter sofridamente

De enfrentar, combater este cruel enfado,

Em que se tornou o estar doente.



Ah! Esclerose malvada, que me enfermas,

Que em mim espalhaste teu mal, profundo.

Tu! Que nunca me lanças palavras ternas.

Tu! Sorte vil! Que me persegues neste mundo.



Esbarrei aspirações, anseios, nesse muro,

Que este execrável destino me ofereceu,

E que, mesmo sem se anunciar, eu já aturo.



E enquanto meu sonhar, desiludido, já pereceu,

Farei ainda da tolerância destino, desse futuro

Que, mesmo sem ser desejado, se fez meu.



. Luiz

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo