Sejam bem vindos, deixem uma opinião...VOLTEM SEMPRE!

Pesquisar neste blogue

Os nossos olhos são o espelho da nossa alma, não mentem, reproduzem sempre os pormenores mais íntimos dos nossos sentimentos. O Espelho da Alma é um espaço onde se pretende reproduzir em poesia um manifesto desses sentimentos do autor. Tu! Que aqui passaste, considera-te bem vindo e volta sempre.

quinta-feira, 21 de janeiro de 2010

Photobucket



REJEIÇÃO...(Desilusão)



Dias mil, que sem vós, tristonhos me parecem,

Neste choro amargo, de vos perder em minha vida,

Dias, que sem vós, me enjeitam e entristecem,

Dessa falta esquiva, se por certo, já perdida.



E se pena por amar-vos, entendeis que já mereço,

Castigai-me já, duramente, com a dor do desespero,

Mas não façais, vós de mim, um vil tropeço,

expurgando cerce todo o amor que vos quero.



E se o desprezar cru, a mim tambem me enjeita,

Deixar-me só, esquecido e ausente, dessa vida,

Nem sinto tristeza, pois que vós foste perfeita,

Nem tornarei funesta, tal lembrança, por perdida.



Urdido destino, que consagrando este desvelo,

Mortifica, em transe, o coração, num desagrado,

E carpindo minhas mágoas, emite mordaz apelo,

Que se confunde num rouco, dilacerante brado.



E assim, deserdado da paixão, por vós me vejo,

Neste estado de amargura febril, penoso auguro

desta vida, de pesados grilhões, onde sem pejo,

Prometido tenho, meu triste fado, no futuro.



São estas trevas que enlutam a minha natureza,

E fustigam a minha alma de forma dolorosa,

Que dispersam da desventura a incerteza,

De carpir o meu destino de forma lamentosa.



Persuado-me e em peleja buliçosa eu assevero

À minha alma, presentear com nova bonança.

Ansiando vossa presença junto a mim, eu espero,

Suspirando essa ausência, inflar esta esperança.

Luiz

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo