Sejam bem vindos, deixem uma opinião...VOLTEM SEMPRE!

Pesquisar neste blogue

Os nossos olhos são o espelho da nossa alma, não mentem, reproduzem sempre os pormenores mais íntimos dos nossos sentimentos. O Espelho da Alma é um espaço onde se pretende reproduzir em poesia um manifesto desses sentimentos do autor. Tu! Que aqui passaste, considera-te bem vindo e volta sempre.

quarta-feira, 7 de abril de 2010

Meu Amor... Minha Dor!


Neste desejo de esquecer-te, eu, sem jeito,

Continuo lamentando ver-te, no desgosto

Desse sorriso que perdura no teu rosto

E dessa dura indiferença no teu peito.



E se neste mal em que o meu defeito

É prosseguir da rejeição caminho oposto,

Renego-o! Porque no amor o pressuposto

É furtar-me à imperfeição de estar sujeito.



Vou submetendo assim minha natureza,

Perseguido por esta paixão tão ilusória,

Que me faz sofrer por tais amores.



Este feitiço, que delapida minha beleza

E que me impôe já, ter só por glória,

Um destino fatalista de tais dores.



LUIZ

1 comentário:

  1. É teu apanágio sempre escrever lindamente e nesse poema retratas a fatalidade de um amor desconjurado como ninguém o faz!!

    Parabéns Nobre Poeta!!

    Eu.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo