Sejam bem vindos, deixem uma opinião...VOLTEM SEMPRE!

Pesquisar neste blogue

Os nossos olhos são o espelho da nossa alma, não mentem, reproduzem sempre os pormenores mais íntimos dos nossos sentimentos. O Espelho da Alma é um espaço onde se pretende reproduzir em poesia um manifesto desses sentimentos do autor. Tu! Que aqui passaste, considera-te bem vindo e volta sempre.

terça-feira, 24 de agosto de 2010

RODA DOS SENTIDOS

Roda dos Sentidos

Ansioso, rodo, manuseio desta vida a esfera,
Que rodopiando, incendeia os meus sentidos.
Oh! Triste coração, que ardente bem quisera,
Não carpir, nestes dias tão sofridos,
A angústia, já dorida, desta espera.
E agora nestes encontros venturosos,
Que nos prometem marés de alegria,
Enlaçamo-nos, ternos e afectuosos.

Oh! Que outros encantos nesta vida haveria,
Que, quando olhados, nos fossem tão formosos.

E agora nestes encontros tão queridos,
Partilharemos nós ternurenta euforia,
Sempre juntos, a esta paixão já rendidos.
Oh! Que outra partilha de emoções arrancaria,
Nestes peitos, tamanhas trovas de gemidos.
E se o amor permanecesse, que bom seria,
Contar os dias e num turbilhão de emoções,
Amar, dançar, viver feliz em cada dia.

Oh! Quem calaria a voz destes corações,
Ao expressarem o prazer que lhes daria.

Luíz

1 comentário:

  1. Nossa!!!
    Eu tenho que vir comentar esses versos, e comentarei com cuidado!
    Muito bem, poeta!
    Viva!
    Maravilhosos versos!!

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo