Sejam bem vindos, deixem uma opinião...VOLTEM SEMPRE!

Pesquisar neste blogue

Os nossos olhos são o espelho da nossa alma, não mentem, reproduzem sempre os pormenores mais íntimos dos nossos sentimentos. O Espelho da Alma é um espaço onde se pretende reproduzir em poesia um manifesto desses sentimentos do autor. Tu! Que aqui passaste, considera-te bem vindo e volta sempre.

quarta-feira, 8 de setembro de 2010

AUTOGRAFIA



Não meus amigos não recuso nem desminto,
Nas estrofes destes versos, cantar meu eu ensejo.
Porquanto se neles enumero o que em mim sinto
Também neles me confesso e neles me revejo.

Através deles me expresso e neles eu instigo
Glimatias estrofes, mesmo aos que me conheçam.
Ignorando que Ésquilos Cíceros insinuando castigo,
Desagiam ironias, profetizando que me esqueçam.

Dou-me a mim mesmo o prazer de meu monólogo,
Indígete actor desse prazer que enche meu peito,
Sem a arrogante filáucia, do destino, ser astrólogo.

E quando um dia ao dílúculo da morte for sujeito,
Anuncio ao pensamento ser apenas breve prólogo,
Prometeu, doutro propósito, para o qual sou eleito.


setter-oespelhodaalma.blogspot.com

2 comentários:

  1. Grande POETA!!

    Não é necessário ser mais do que um/uma leigo/a para perceber como tu tens se superado em cada verso, cada estrofe, cada poema que nos trás aqui.
    Continua...que "TEU CAMINHO É DE LUZ E MUITAS GLÓRIAS".

    ResponderEliminar
  2. Obrigado pelo encómio.
    Congratulo-me em saber que me consigo sobrepujar aqui em cada nova estrofe. Tentarei persistir nesse conspícuo caminho, não por glórias, das quais abdico, mas pela contínua busca dessa luz que preconizas e que me orgulha alcançar.

    ResponderEliminar

Ocorreu um erro neste dispositivo