Sejam bem vindos, deixem uma opinião...VOLTEM SEMPRE!

Pesquisar neste blogue

Os nossos olhos são o espelho da nossa alma, não mentem, reproduzem sempre os pormenores mais íntimos dos nossos sentimentos. O Espelho da Alma é um espaço onde se pretende reproduzir em poesia um manifesto desses sentimentos do autor. Tu! Que aqui passaste, considera-te bem vindo e volta sempre.

quinta-feira, 2 de setembro de 2010

SÁTIRA




Oh, Comum! Mortal cidadão! Quão negro fado

Nesse destino que te empurrou a ser poeta.

Derramas estrofes em que esgrimes teu enfado

Ou te reafirmas (da tua crua poesia) asceta.



Satirizado, como Mévio por Virgílio serás,

Censurado por Licurgas e Ulpianas ideias

Cujácios da poesia te apontarão o exílio, atrás

Hirtos os indicadores, esgares, faces feias.



E enquanto te vão apontando, vozes vão bradando

Exasperando nas palavras, os olhares chispando!

- Vai-te dolo, deste oiteiro, destes campos de Apolo!



Em pérfida loucura, cobrem de arruda e arnica a sepultura,

Prefaciam perversa a desventura, o epílogo desta aventura,

Colando no raso esquife, já lacrado, epitáfio de patife.




setter-oespelhodaalma.blogspot.com

Sem comentários:

Enviar um comentário

Ocorreu um erro neste dispositivo